A reforma e a revolução

Reformado, deixei de dar aulas. De resto, estou cercado pelos mesmos livros, alguns dos quais já não terei tempo de ler. Passo a vida a consultar, isto é, a estudar com vista a alguma realização determinada por um passado feito de aulas. As ideias que fui adiando para um tempo sem aulas continuam a ser adiadas até não ter tempo para lá chegar. Definitivamente. Começa a tomar forma no meu espirito a necessidade de uma nova reforma. Passará por eliminar das estantes do cubículo as montanhas dos últimos papéis e livros. Pensei em trocá-los por outros papéis e livros perdidos na cave, para jogar com a memória de velhos livros e cadernos de poemas. Mas o melhor será trocá-los pelo vazio nas prateleiras ou por objetos de que não me lembre e tenham perdido importância com o passar dos anos, embora permaneçam em algum canto da cave. E pela leitura em bibliotecas que me lembrem que há mais para ler fora do perímetro das minhas preferências, dessas, exactamente dessas de que guardo uma memória baça. As próprias referências, a começar pelas enciclopédias e dicionários, podem ter-se perdido na bruma do tempo que passou. Desarrumarei este meu tempo presente. E talvez recomece a caminhada, como quem sai de casa e segue para nenhum lugar ou para o sítio onde nunca pensei chegar. Quem sabe?

Comentários

gloria leite disse…
Quem sabe?
Na crise da mudança de rotinas, há indecisões e algumas vezes deixar correr o tempo sem nada realizar...mas sair do ninho, sem expectativas e de mente aberta dá hipótese de algo encontrar...e há sempre um novo ciclo para ser isco a novas descobertas.
Boa sorte para novidades.
Formiguinha laboriosa
MG
© Maria Manuel disse…
sei, eu tentei começar a arrumar prateleiras, papeis, depois parei de indecisa e algo preguiçosa a essa tarefa. vou deslizando devagarinho entre isto e aquilo, aguardando uma manhã de recomeço em mim.

a si, deixo-lhe um abraço com votos de uma boa caminhada e de um Ano Novo com muitas horas felizes,
Maria manuel
Existem duas formas de destruir a misericórdia: eliminando o pecado e eliminando o perdão. Estas são precisamente as duas atitudes mais comuns nos dias que correm. Numa enorme quantidade de situações não se vê nada de mal. Naquelas em que se vê, não há desculpa possível. As acções do próximo ou são indiferentes ou intoleráveis. O que nunca são é censuradas e perdoadas. O que nunca se faz é combinar o repúdio do pecado com a compaixão pelo pecador.

Mensagens populares