em apoio do senhor do pingo

Tenho a impressão que andam a tentar tramar o dono do Pingo Doce.

Primeiro, o barulho sobre a venda da mãe à filial (a filha da mãe tomará conta dela, porque ela já sem autonomia teve de se encostar à filha que a mãe tinha tido num país onde foi experimentar a passa). Também houve quem dissesse que o espírito da mãe emigrou para a Holanda ao encontro da filha, cumprindo a recomendação do governo para que emigrasse. Alguns comentadores foram mesmo de opinião que ela esteve bem no transe, deixando o corpo (ou parte dele) para trás.

Depois, ainda não estava eu refeito da tempestade de azedume português a estragar o doce do pingo e das entrevistas a propósito, quando ouço a notícia de que o pingo doce deve meio milhão de euros de impostos de 2008. Não sei que mais dizer.
Sempre digo que já este ano paguei duas multas de 15 euros por me ter atrasado uns dias no pagamento de imposto de circulação (ou coisa assim) de anos anteriores. Coitado do pingo que, a confiar na celeridade do fisco português e na proporcionalidade das multas, vai sofrer uma mossa nas massas de tal modo que talvez venha a sair daquela lista dos mais ricos. O que os ricos sofrem às garras do fisco português. Tenho pena do senhor do pingo.

E hoje, ao sair da biblioteca da universidade, dei com um panfleto esquerdista a dizer que o presidente do conselho geral da universidade estava em roterdão ou coisa lá perto ao abrigo do programa erasmus. Vá lá, ao menos com bolsa.

Comentários

Mensagens populares