ainda agora

Os caloiros e veteranos (falsos-pseudo-quase-)contabilistas  que vejo aqui da minha varanda andam desde setembro em marchas e gritos e gritinhos, abusos uns dos outros e mais gritinhos, grunhidos estúpidos e mais gritinhos, guinchos e mais gritinhos etc.  Hoje, sábado, pelas 8 horas da manhã já tinham comparecido à chamada de um deus qualquer, uns com as t-shirts de caloiros que é preciso integrar na boçalidade (pelos vistos  dominante) de uma certa (in)disciplina e na obediência que só pode ser testada na cedência aos mais estúpidos dos estúpidos de negro capados. Muitos deles ou todos estarão de acordo com o governo da praxe e o governo da maldição nacional e andam há meses a repetir para si mesmos que devem ser austeros no sentido de íntegros à telmo  e limitações de homens ou mulheres de estado ineressante no sentido paulatino ou do gaspar coelho. O governo também foi eleito por um povo praxado que ouviu promessas de integração para receber esta sova que é em tudo contrária ao prometido. Ou não e estou  eu a reinventar esses discursos dos predadores mentirosos. Estas integrações baseadas em códigos da praxe só podiam dar nisto. Está tudo bêbedo desde a juventude... partidária em que se dedicaram ao garimpo e à garupa que o governo da nação é. Tornaram-se especialistas  no ar  de fato compenetrado. Treinaram a pose e posam. Se o país fosse a cidade onde vivo, diria que tínhamos chegado ao fim da linha e de algum modo contribuído para  a possibilidade dos jotas, mestres do salgado e chefes das tunas formarem um governo da nação. Pelos vistos credível aos olhos sensíveis dos cegos mercados surdos a todos os apelos da razão pura e da razão prática, desde que, como vendilhões e vilões ao tempo de cristo,  foram expulsos do templo. Nunca morreram. Foram 'offshore stormers', especuladores económicos, banqueiros filosóficos e co-gestores de organizações financeiras e escandaleiras internacionais,  empreendedores  sabe-se lá de que empreendimentos,  administradores de falências, trabalhadores de grupos de trabalho de alto nível, thinktankers, analistas de gráficos viciados, ratos, goldmen, sachs e zundapps.. E agora voltaram. Voltam sempre como predadores. Podem ser caçados, como sempre

Comentários

Mensagens populares