os buracos da estupidez



Há buracos e buracos. Esta fotografia foi tirada à entrada de uma rua de moradores que foi transformada em rua de trânsito intensivo quando passou a ser a rua de saída do trânsito dos utentes do ISCAA, particularmente a partir das 18 horas. No princípio do inverno, abrem-se buracos que de vez em quando são remendados para darem lugar a novos buracos. A fotografia foi tirada num dia seco e sem carros. No inverno está cheia de carros e os buracos escondidos pela água.
Quem transformou a rua de moradores em rua de trânsito intensivo não fez mais do que tomar uma decisão administrativa num escritório qualquer onde não sabem como foi pavimentada sobre um caminho lamacento vai para muitos anos. Não há memória na Câmara Municipal e também não há engenheiros em trânsito para verem o que se passa. Não há vergonha nem dó. Ao lado desta via, há empedrados de pedras soltas prontas a partir velozes e assassinas na saída ou entrada de carros que estacionam ali quando não têm outro poiso. Se houver acidente imperdoável não há perdão. Entretanto há pneus e suspensões que se degradam muito mais rapidamente do que seria normal. (Ir)responsáveis algum dia pagarão? Algum dia pagarão o desgaste e a irritação? Sentados no seu exclusivo serviço, habitando os seus próprios buracos, nunca se sentirão ameaçados pelas pedras que voam ou pelas quedas nos buracos.

Comentários

Joaquim Leal disse…
Há buracos e buracos e estes são daqueles que ninguém gosta de ter a porta de casa. Sei que o "descuido" não é homogéneo. Há zonas, talvez de gente mais "fina", tipo "alfacinha" que não sofre de tal mal. As consultas para o tratar não são de "espera galego"; há sempre folga orçamental para mais um tapete de alcatrão antes que apareçam os buracos. Gente, aqueles que deveriam ter na memória que, SANTIAGO TAMBÉM É CIDADE.
Aceitem o convite, venham passear o vosso carro por estas bandas, em especial pela Cooperativa Chave.

Mensagens populares